12 maio 2016

E agora?


Desde pequena sou engajada ao ativismo, seja fazendo campanhas ecológicas - quando eu tinha só oito anos - seja tomando voz em uma sala de aula para discordar de um professor machista, defendo as coisas que eu acredito mesmo diante de uma autoridade, escrevendo sobre feminismo, política e sobre meus ideais. Mas nunca me senti, diante das conjunturas politicas atuais, em uma rua sem saída. Hoje, assistindo nos noticiários uma presidente ser afastada de seu cargo, quando eleita democraticamente, e acompanhando uma ocupação um tanto duvidosa na minha universidade, senti que minha voz estava esvaindo e que no meio dessa confusão toda, eu só pudesse ouvir aqueles que sempre puderam falar. 
Fui aluna de escola pública quase que minha vida toda, eu tenho propriedade quando afirmo que falta merenda sim nas escolas estaduais, porque faltava na minha. E embora eu reconheça que nunca precisei da merenda para me alimentar, eu sei porque já vi com meus próprios olhos alunos que dependiam daquele prato de arroz e feijão para se sustentar praticamente o dia todo. 
Os secundaristas hoje das escolas públicas estão dando um show de política e atuação, eles têm propriedade no que estão fazendo e no porquê de estarem lutando. Mas o que vejo sobreposto a isso, na universidade pública e em outros lugares é que muita gente tenta roubar a luta, ou se apropriar da voz de quem não tem uma vida de privilégios.
Tem uma galera aí que veste a camisa de defensor do pobres, porém nunca precisou trabalhar, não fala bom dia para o porteiro e para as faxineiras da sua universidade, entretanto quer aderir a luta dos trabalhadores com muita garra. O problema em si, não é o cara de classe média alta querer sair da bolha e lutar pelos direitos do pobre, o problema é que esse cara de classe média alta luta na frente dos pobres por algo que ele nunca vivenciou, roubando a cena, calando as vozes mais baixas e se sentindo no direito de ser uma figura representativa. Não há consciência de classe. Eles acham que saíram da bolha, mas na verdade só entraram em outra, com nome de hipocrisia.
São tempos difíceis, de caos, tempos em que vestir a camiseta verde e amarela representa apenas um lado e não um todo, quando a camiseta do Brasil deveria vestir todos os brasileiros. São tempos difíceis de  tentar se situar, tempos de indecisão, em que escolher um lado é assumir tanta coisa junto. Tempos de luta, sobretudo, para não transformamos o presente em passado.
E o que eu desejo é que a liberdade não seja só um sinônimo de utopia, é triste pensar no nosso país se desmanchando em vários sentidos, principalmente naqueles chamados democracia e justiça. Hoje, agora, me sinto representada por muito pouco, mas me sinto no direito de não deixar a luta ganha, porque eu faço parte da maioria que dificilmente é vencedora, os trabalhadores, estudantes de escola pública, moradores da periferia, os que lutam por um país melhor.  
E nós jovens que conseguimos tantas coisas, com nossa considerada bagunça, nos vemos em um jogo que já parece vencido por ratos sujos que não moram no porão, mas sim no planalto. A semana parece estar sendo marcada por acontecimentos históricos.
 Em tempos assim, me resta escrever, me resta lutar, pois também são tempos de temer.









6 comentários:

  1. Você deve ser irmã da Carol né? Eu estudo com ela :)
    Sobre o post, eu tremo de ódio quando algúem nada a ver com o assunto que ir falar mal de coisas como as cotas e a luta dos secundaristas, na escola que eu estudava (particular, com bolsa) eu era obrigada a ver filhinho de papai achando uma "enorme injustiça contra eles" essas ações sociais. Mas quando eu ia contra ele era lógico que eu era calada mesmo porquê eu tinha bolsa. Triste realidade é saber que a maioria desses infelizes entram na faculdade e lá falam mais merda ainda e destroem mais ainda a luta dos outros :( Gostei deste post, nos grupos de blogueiras que participo não tem ningéum abordando o assunto, espero que eu consiga fazer um post sem passar o tamanho da minha raiva sobr eo cenário político que nos encontramos :(
    beijos!
    dezoitoemponto.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sá, lindaaa <3
      Obrigada por visitar meu blog e deixar seu comentário, será sempre muito bem vinda, flor!!
      Bjs.

      Excluir
  2. Achei o texto sensacional, mesmo!

    needfulglam.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Caramba, que texto maravilhoso, sério mesmo! É raro ver posts sobre esses assuntos, mas gostei muito. Realmente são tempos difíceis... Eu sempre estudei em escola pública e onde eu estudei no Ensino Fundamental também faltava merenda, uma coisa que é nosso direito, né? Chega a ser deprimente ter que lutar por isso.
    Um beijão,
    Gabi do likegabs.blogspot.com ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, fico muito contente. A ideia do blog é essa, inclusive, postar assuntos que dificilmente são abordados! Obrigada pelo comentário, volte sempre, bjs <3

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...